segunda-feira, março 12, 2007

Deixem o Mantorras conduzir!


Angola: portugueses impedidos de conduzir com carta de Portugal

Os cidadãos portugueses deixaram de poder conduzir em território angolano com a carta de condução de Portugal, noticiou hoje a Televisão Pública de Angola (TPA), órgão oficial do Governo de Luanda.
A medida foi decidida pelas autoridades angolanas em retaliação contra o facto de os angolanos estarem impedidos de usar a sua licença em território português, segundo uma reportagem da TPA difundida esta noite.Também de acordo com a TPA, a medida está em vigor desde sexta-feira, mas até agora nenhuma outra informação foi transmitida publicamente sobre o assunto.Uma fonte próxima da embaixada portuguesa em Luanda, não identificada pela Lusa, afirmou que "Portugal e Angola estão a estudar a possibilidade de estabelecer um mecanismo bilateral, que permita obviar este tipo de situações", mas o Governo angolano parece ter resolvido antecipar-se e estabelecer uma medida retaliatória, apelando ao direito à "reciprocidade".A proibição de utilização das licenças de condução angolanas em Portugal data de 2000, segundo o primeiro secretário do Consulado de Angola em Lisboa, Eliseu Bumba, citado na reportagem da TPA, mas, ao que tudo indica, só desde o ano passado começou a ser aplicada.As autoridades portuguesas justificam o impedimento do uso da carta de condução angolana em território português com o facto de Angola não ter assinado a Convenção de Viena sobre Tráfego Rodoviário, o documento que rege as normas internacionais de circulação nas estradas de todo o mundo.Em Angola, os portugueses podiam usar a carta de condução emitida em Portugal até ao prazo máximo de 90 dias, o período a partir do qual tinham de solicitar uma licença angolana para poderem continuar a conduzir.


Esta medida relatada no jornal Público surge pouco tempo depois do jogador angolano do Benfica, Mantorras, ter sido detido por conduzir com uma carta de condução angolana, o que não seria válido em Portugal.
Não discutindo a justiça da decisão, é curioso que a decisão do governo de Algola surja apenas depois da detenção de Mantorras.
Será que foi o único portador de carta de condução angolana a ser detido pela BT? Ou a medida foi tomada como retaliação apenas e só pela vítima ser mediática?
Se não tivesse sido com Mantorras ou se não tivesse sido divulgado na comunicação social, será que as mesmas medidas teriam sido tomadas pelo executivo angolano?


FOI PROFUNDO!

2 comentários:

Pall Mall disse...

Se não fosse o Mantorras, era a filha do ministro ou o embaixador... é mesmo birra de um país pobre, corrupto, que adora arrogantemente arrotar postas de pescada contra o ex-patrão colonialista... coitadinhos!

Pall Mall disse...

Já agora: parabéns, foste citado pelo "Público" de hoje!

Dispenso...

Porque tudo o que é dito é dispensável...
Porque tudo o que é escrito é dispensável...

Este é um blog onde se fala a sério e se brinca.
Quem não goste de ironia ou sarcasmo que feche esta página rapidamente!
Aqui ninguém tem razão.
Eu não pretendo estar certo, pretendo observar e pretendo fazê-lo de uma forma atenta e crítica...de uma forma dispensável.

Dispenso...um blog dispensável.

pessoas já dispensaram um tempinho para dar uma espreitadela