domingo, maio 21, 2006

Mentes que brilham

Quando eu era um catraio era esperto, inteligente até, tinha sempre notas muito boas e os professores gostavam todos de mim.
Estava em mais um cafézinho com o meu "sócio" (designação não-sexual, não-abichanada), quando ele disse que tinha deixado de ser bom aluno, salvo erro, com o aparecimento dos dentes do siso. (Dino, corrige-me se estiver errado).
Ora, foi nesta altura que tive um flash, uma viagem ao passado, e recordei os tempos da primária, tempos esses em que eu era tão inteligente que chegava a ser brilhante, obrigando muitas das minhas professoras a darem as aulinhas de óculos de sol...

FOI PROFUNDO?

3 comentários:

Josue disse...

Não me lembres dessa merda que fico deprimido. Este semestre tá a ser uma boa merda...

Josue disse...

No DEI também temos os fascistazinhos à sua maneira. Temos estatutos que são constantemente violados, e temos cadeiras com estatuto "especial" dentro da FTCUC. Em todos os cursos tem de haver algum professor que gostaria de ser austriaco, baixinho, ter um bigodinho ridículo e ter mais poder qeu os outros todos.

Juvenal, o Animal disse...

tás errado caro biltre, tu queres dizer que não gostava de ser austríaco, gostava de ser alemão...nascido na Áustria :D

Dispenso...

Porque tudo o que é dito é dispensável...
Porque tudo o que é escrito é dispensável...

Este é um blog onde se fala a sério e se brinca.
Quem não goste de ironia ou sarcasmo que feche esta página rapidamente!
Aqui ninguém tem razão.
Eu não pretendo estar certo, pretendo observar e pretendo fazê-lo de uma forma atenta e crítica...de uma forma dispensável.

Dispenso...um blog dispensável.

pessoas já dispensaram um tempinho para dar uma espreitadela