segunda-feira, outubro 27, 2008

Vós "soides" um "homem sexual"?

Já por mais que uma vez que me rotulam de "demasiado liberal".
Talvez seja...

Acho que vivo com umas lentes fictícias que me obrigam a ver o mundo de uma forma demasiado pacífica em que as pessoas devem respeitar as opções dos outros, desde que essas opções não prejudiquem ninguém.


Alguém me explica em que é que o casamento de dois homens ou de duas mulheres vai atrapalhar a vida de alguém?


Vou meter aqui uma pitadinha de sarcasmo...
Porque é que a Igreja é contra o casamento de homossexuais?
Se a Igreja é contra o aborto e é contra os homossexuais, temos aqui um contra-senso!
Há algum grupo com maior probabilidade de não fazer um aborto que os homossexuais?


Ora, voltando à parte em que escrevia com alguma seriedade, que a Igreja seja contra o casamento religioso de duas pessoas do mesmo sexo, eu entendo. Que seja contra o casamento de duas pessoas do mesmo sexo no civil, acho que é estarem a meter o nariz onde não são chamados.

Especialmente quando estamos a falar de uma das instituições mais hipócritas da História da Humanidade! Ainda mais quando sabemos que, nos dias que correm, o que não falta são padres gays e padres pedófilos.


Aqueles machões que dizem que os homossexuais deviam ser todos metidos num barco e mandados para o fundo do mar são aqueles mesmo machões que acham que ser Homem é chegar a casa e malhar forte e feio na mulher, que acham que Homem que é Homem é aquele que ao fim do dia vai beber uns copos com os amigos, depois vão às putas e, quando chega a casa, bate na mulher.


O que me leva à crítica a quem critica o casamento de gays ou lésbicas.


Num momento em que a taxa de divórcios é altíssima, em que as pessoas casam e descasam com a maior das facilidades e de uma forma quase rotineira, parece-me uma hipocrisia criticar duas pessoas que realmente gostam uma da outra e querem ficar juntas para sempre.

Depois de vermos facilitado o processo de divórcio vemos bloqueada a possibilidade de duas pessoas se casarem.


E, já agora, deixo uma pequena farpa.

Apesar de não ter ainda uma opinião formada sobre a adopção por parte de casais do mesmo sexo, gostava de saber como é que se critica tanto a adopção de crianças por casais de gays ou de lésbicas e ninguém discute porque não há um controlo sobre casais onde há violência doméstica, sobre casais onde um ou os dois cônjuges têm como desporto preferido casar ou descasar.

Será que o facto de ter dois pais do mesmo sexo será mais perturbador do que ter pais violentos, bebados, drogados ou sem estabilidade emocional ou até mesmo sem estabilidade no casamento?

Ou será que o que realmente preocupa é que uma criança cresca num ambiente em que todos olham de lado para os pais dela?




FOI PROFUNDO??


p.s. obrigado ao Brain Estruming pela foto que "roubei"

3 comentários:

Brain Estruming disse...

NÃO TENS NADA QUE AGRADECER

Marta Ribeiro disse...

Poes-te a ler o Diário das Beiras e é no que dá!

André disse...

como muito bem disses-te, concordo que desde que não prejudiquem ninguém todos deviria-mos poder fazer o que quiséssemos... mas sinceramente acho que prejudicaria a criança, no caso da adopção por parte de casais homossexuais. Somente é suposto (em termos de evolução ou até biologicamente) ter 1 pai e uma mãe. Ter 2 pais, óptimo, Ter duas mães também... o que preocupa seria que tendo 2 pais a criança não teria mãe e tendo duas mães não teria pai. Não acho que seja o melhor para o desenvolvimento emocional e psicológico.

Dispenso...

Porque tudo o que é dito é dispensável...
Porque tudo o que é escrito é dispensável...

Este é um blog onde se fala a sério e se brinca.
Quem não goste de ironia ou sarcasmo que feche esta página rapidamente!
Aqui ninguém tem razão.
Eu não pretendo estar certo, pretendo observar e pretendo fazê-lo de uma forma atenta e crítica...de uma forma dispensável.

Dispenso...um blog dispensável.

pessoas já dispensaram um tempinho para dar uma espreitadela